Edicões Gambiarra Profana/Folha Cultural Pataxó

Seguidores

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

VIDRO FUMÊ






VIDRO FUMÊ

Sinto o olhar do vento
No ocaso do vidro fumê
Da janela do meu apartamento
É só a palidez do vento
Querendo viver
Querendo brincar de amar
Com meu isolamento

6 comentários:

  1. Que poesia é essa tua que encanta os nossos olhos exatamente igual à uma doce melodia encanta os nossos ouvidos ? Suave e mágica. É tudo o que posso falar sobre ela.

    ResponderExcluir
  2. O vento que ri, o vento que debochadamente vive diante da figura presa no vidro fumê.
    Um bj querido amigo e bons ventos para você.

    ResponderExcluir
  3. Ah amigo, só eu sei como é esta sensação, tambem moro em apartamento...beijos!

    ResponderExcluir
  4. Lindo!!!
    Escreve com o coraçaõ, adoro!
    Parabéns!!!
    Tudo de bom sempre.

    Gratidão.

    Marion

    ResponderExcluir
  5. Perfeito!
    Fico imaginando o olhar do vento...

    bjos

    Álly

    ResponderExcluir
  6. Podes-me ajudar com a minha renovação? :D Basta vires AQUI.

    Muito obrigada! :)

    ResponderExcluir