Edicões Gambiarra Profana/Folha Cultural Pataxó

Seguidores

terça-feira, 20 de setembro de 2011

LIMITE (Jorge Medeiros)


LIMITE
Autor Jorge Medeiros
Jorge Medeiros é Poeta dos Grupos Gambiarra Profana e Pó-de-Poesia

Cruzei o limite do sono
Minha poesia é sonâmbula
Fica presa no teto
No tremular da vela acesa

Blogs interessantes:
http://fcpataxo.blogspot.com
http://gambiarraprofana.blogspot.com

15 comentários:

  1. Só esperando o sinal para invadir.
    Um grande bj querido amigo

    ResponderExcluir
  2. Muito bonito, Jorge Medeiros. Um beijo, Arnoldo!

    ResponderExcluir
  3. Lindo poema de Jorge! abraços,ótimo dia!chica

    ResponderExcluir
  4. "Cruzei limite do sono..."
    Lindo poema! Luz!
    Ana Coeli

    ResponderExcluir
  5. Maravilhosa essa poesia sonambula...abraços de bom dia pra ti meu amigo.

    ResponderExcluir
  6. LIMITE
    "Em tudo os homens dependem dessa única palavra".
    Li essa frase em algum lugar....lembrei agora com a sua postagem.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Olá, Arnoldo. Lindo poema amigo. Passando para agradecer sempre o carinho da sua visita que muito me alegra! Tenha um bom dia! Grande abraço.

    ResponderExcluir
  8. Um belo dia de poesia pra ti meu amigo...abraços.

    ResponderExcluir
  9. Oi Arnoldo...

    Quero muito te agradecer pela sua sempre gentil presença em meu blog.

    Lindo poema do sem amigo do Gambiarra!! Amei!!

    Um dia de paz a vc....

    ResponderExcluir
  10. Um poema belo e sensível deste poeta que vou correndo conhecer, beijos Luconi

    ResponderExcluir
  11. ... e no apagar da vela acesa:
    Oníricos poemas que se perdem...
    Abraços!

    ResponderExcluir
  12. Eu não cultivo palavras...
    Prefiro semeá-las feito flores.
    Quem sabe te embriaguem
    num instante qualquer.

    (Sirlei L. Passolongo)

    Feliz Domingo e beijos meus! M@ria

    ResponderExcluir
  13. ... poesia sonâmbula no tremular da vela acesa...
    Lindo!

    Beijos.

    ResponderExcluir