Edicões Gambiarra Profana/Folha Cultural Pataxó

Seguidores

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

CLAREIRA



Céu de estrelas
Barracas na clareira
Deixam saudades

Arnoldo Pimentel

11 comentários:

  1. Firme [n]o chão, olhar [n]a amplidão...
    Abraços, bons caminhos!

    ResponderExcluir
  2. Limerique

    Era um acampamento selvagem
    Adentrado à rústica paisagem
    Debaixo das estrelas
    Onde se pode vê-las
    Lugar onde a paz não é miragem.

    ResponderExcluir
  3. Limerique

    Debaixo do céu numa clareira
    Uma barraca e uma fogueira
    Uma vida como esta
    Silêncio da floresta
    Não existe quem não queira.

    ResponderExcluir
  4. Arnoldo, poeta!
    Tudo bem?
    saudades brindadas a céu estrelado!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Aqui em Pernambuco temos numa periferia do Recife um bairro chamado Chão de Estrelas. Acabei me lembrando de lá com o primeiro verso. Ah, poesia sempre nos levando ao imprevisível!

    ResponderExcluir
  6. Olá, amigo Arnoldo!
    Poema de exímia maestria e extraordinária beleza!

    Abraços.

    ResponderExcluir
  7. Tempo de acampamento? Saudade da juventude!bjs,

    ResponderExcluir
  8. Oi, Arnoldo!
    Estou retomando minha rotina junto ao blog e voltando a rever os amigos...
    Era divertido...!

    ResponderExcluir
  9. Oi Arnoldo querido


    Céu estrelado e boa companhia, sempre deixam saudades...

    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
  10. Lindo Arnoldo.
    Disse tudo num haikai.

    Bjs.

    ResponderExcluir